fbpx

SÍNDROME DE CARACOL – PARTE 2

SÍNDROME DE CARACOL - PARTE 2 1

Após nosso último informativo (se você não leu, leia aqui), muitas pessoas entraram em contato para nos perguntar sobre o aluguel de motorhome no Brasil. Pois bem, lamentavelmente nosso país não é preparado para este tipo de turismo, pois as empresas proprietárias só alugam seus veículos com motorista (o que pessoalmente acho que perde o sentido da viagem) que acabam encarecendo ainda mais a locação, as leis de trânsito inadequadas e a infraestrutura a desejar.

Porém a solução está mais perto do que se pode imaginar. Podemos recorrer a nossos “hermanos” do sul. Países como Argentina e Chile possuem uma frota de veículos muito boa para quem deseja ter uma experiência diferente no período de descanso. Alie isto a moedas que são mais desvalorizadas que o Real e o Dólar,  estradas boas e paisagens deslumbrantes e você terá uma aventura formidável!

Quer algo bem mais diferente? Está com tempo e quer investir em uma viagem maior? Parta para a terra dos “grey nomads”, pessoas que se aposentam e vendem praticamente tudo e compram um motorhome e caem na estrada para conhecer o seu país, que assim como o nosso tem dimensões continentais. Estou falando da Austrália. Tive a oportunidade de dirigir um veículo destes por 2.200 km na mão inglesa e vou dizer que foi a experiência mais incrível que tive em uma viagem, pois um bom tanto da viagem eu e minha esposa sempre fomos acompanhados por cangurus que pulavam ao lado da estrada. Tivemos a experiência de dormir na estrada e com segurança e de estacionar nosso veículo ao lado da praia para dormir ao som do mar e acordar com um belo nascer do Sol.

Não quer ir tão longe? Pode ir para os EUA, onde a cultura do motorhome também é forte e onde famílias atravessam o país inteiro conhecendo cada canto e um pouco mais da história americana.

No próximo informativo, traremos uma outra opção para carregar a casa nas costas. O camping!

SÍNDROME DE CARACOL - PARTE 2 2

Pé na estrada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *